domingo, 12 de dezembro de 2010

Minha primeira aula de Literatura Gótica

Era ano de 2005, o mês eu nem lembro direito. Estava me interessando na época por essa cultura literaria, e antes das aulas de literatura da Profª Ms. Aline Morais já tinha lido Alvarés de Azevedo, e todas as doenças que aninhavam aquele movimento jovem.
Meus anjos naquela época eram escuros, bem sombrios, carregavam leves rosas vermelhas e espinhos voando com suas asas pálidas de tão limpas. A arquitetura era bem orgivada para espantar os demônios, meus anjos chovaram, cantavam e dormiam. Fingiam que amavam, mas que nada... só fingiam e contavam mentiras.
No meio daquela época de descoberta eu tive uma inspiração. Uma prova de literatura gótica do 2º ano do ensino médio num colégio particular e católico (EST) eu escrevi um trecho que me fez tirar um 10 além de ganhar alguns aplausos. Era mais ou menos assim:

(ano de 2005)

"... faca, fogo, fúria.

Não quero tumba ou túmulo

Ao sono leve da morte embalsamada

Quero o meu sono eterno,

Na rede fina de linhas de prata."

2 comentários:

  1. Eu sempre curti esse "lado negro" da literatura.E realmente ficou muito bom seu texto.

    ResponderExcluir