sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Elizabeth no topo do mundo: LEILA DINIZ

"Toda mulher quer ser amada Toda mulher quer ser feliz Toda mulher se faz de coitada Toda mulher é meio Leila Diniz”


Quando conheci essa música de Rita Lee fiquei naquela: "Afinal, quem é Leila Diniz?" E lembro que quando conheci a história dessa mulher me encantei logo de cara. De Niterói para o mundo, Leila Diniz quebrou tabus de uma época em que a repressão dominava o Brasil; o primeiro grande escândalo que causou foi exibir sua gravidez na praia de biquíni e depois chocou o país dizendo: "Transo de manhã, de tarde e de noite".

Leila Diniz era considerada uma mulher a frente do seu tempo, um exemplo de mente aberta e liberal sem ser vulgar, era ousada e detestava convenções, e por isso foi invejada e criticada pela sociedade machista das décadas de 1960 e 1970 que até hoje insiste em se manter no poder. Era malvista pela direita opressora, difamada pela esquerda ultra-radical e tida como vulgar pelas mulheres da época.
Leila falava abertamente da sua vida pessoal sem nenhuma vergonha, e entre todas as entrevistas que deu a concedida ao jornal O Pasquim em 1969 foi a que causou maior furor no país onde além dos muitos palavrões ainda disse que “Você pode muito bem amar uma pessoa e ir para cama com outra. Já aconteceu comigo." o que rendeu ao jornal altos índices de venda.
Depois dessa publicação foi instaurada a censura prévia à imprensa, conhecida como Decreto Leila Diniz. Logo Leila teve de se esconder no sítio do colega de trabalho e apresentador Flávio Cavalcanti por ser perseguida pela polícia política sob a acusação de ajuda
r militantes de esquerda. Alegando questões morais a Rede Globo não renova o contrato de Leila como atriz que de acordo com Janete Clair "não haveria papel de prostituta nas próximas novelas."
Meses depois Lei
la reabilita o teatro de revista e começa uma curta e bem sucedida carreira de vedete. Morreu em um acidente aéreo em 14 de julho de 1972, aos 27 anos, no auge da fama quando voltava de uma viagem pela Austrália. Marieta Severo e Chico Buarque de Hollanda cuidaram da sua filha, Janaína Diniz Guerra.

Leila Diniz, A Mulher de Ipanema, defensora do amor livre e do prazer sexual é sempre lembrada como símbolo da revolução feminina, que rompeu conceitos e tabus por meio de suas idéias e atitudes.

"Sem discurso nem requerimento, Leila Diniz soltou as mulheres de vinte anos presas ao tronco de uma especial escravidão."

- Carlos Drummond de Andrade



10 comentários:

  1. Oi!

    Eu me chamo Elizabeth, ainda não estou no topo do mundo (nem sei se um dia chegarei lá..rs), moro em Caicó, sou foliã do Bloco do Magão e também tenho um blog [http://bethiamorim.blogspot.com/]!

    Cheguei até aqui através do blog "Bar de Ferreirinha", e gostei muito do que li!

    Ganhou mais uma seguidora!

    Grande abraço!

    @Beth_Amorim

    ResponderExcluir
  2. Brigada, Beth. E nem tenha duvidas que todas nós temos nosso espaço no topo do mundo!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Mila!

    Não sei se vc curte essas coisas de "meme", "selinhos" e afins, mas te indiquei pra algo assim... O convite, o selo e as regras estão lá no meu blog, na postagem "10 coisas sobre mim"! Sinta-se à vontade pra fazer, ou não!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Inteligentissima!
    Parabéns, adorei !
    Shirley Soeiro-Belém-PA

    ResponderExcluir
  5. Ola Mila, Te escontrei ao procurar uma foto da Leila Diniz para postar com algumas coisas qe escrevi sobre ela, tbm à adoro e admiro muito, é uma pena não viver atualmente para poder à conhecer melhor! fiquei sabendo da historia dela ao pesquisar sobre ela apos uma amiga dizer que algumas frases dela e jeito de pensar lembrava o meu e que eu iria adorar e realmente gostei. Adorei o seu blog .. acaba de ganhar mais uma seguidora.Gostei muito também do titulo Passargada' original "é o seu mundo".
    bjk =*

    ResponderExcluir
  6. Olaaa..adoreei tudoo sobre Leila Diniz!

    Afinal entrei nesse site devido meu nome tbm ser Leila Diniz e descobriii que ela é uma mulher Sensaciional...

    beeijinhoos

    ResponderExcluir
  7. Agradeço a passagem de todos! =) Continuem por aqui que em breve teremos mais personagens excelentíssimas que fizeram (e fazem história). Nossas poderozas Elizabeth.

    ResponderExcluir
  8. http://pt.wikipedia.org/wiki/Leila_Diniz

    Você que escreveu também?!

    ResponderExcluir
  9. Eu era criança quando ela morreu. Sempre fui uma pessoa cabeça aberta, comecei a transar cedo, tambem comecei a trabalhar cedo para me bancar, tive filho quando quis, não me considero uma pessoa reprimida ou retrógrada, mas nunca gostei de vulgaridade. E a Leila Diniz apesar de ter posto a cara a tapa, ter revolucionado comportamentos, era bem vulgar sim. Minha mãe e tias falavam isso, eu achava que não, mas depois vendo entrevistas e filmes dela, acabei concordando com as críticas à ela. Acho que você pode fazer o que quiser, mas com muita classe, muito charme, sem baixaria.

    ResponderExcluir
  10. concordo,a mulher pra ser livre nao precisa confundir liberdade com promiscuidade,ser objeto dos homens,ser inteligente pra guiar sua vida profissional e em todos os sentidos!!!vamos nos amar e se respeitar pq isso é muito legal!!! amor proprio gente

    ResponderExcluir